Roberto Conduru


Jogar / Viver

September, 2014

Em Mudança de Jogo, pode ser tomada como um sinal de transformação a ausência dos elementos metálicos que se tornaram característicos da obra de Frida Baranek. Contudo, muitos dos materiais que constituem as novas esculturas foram por ela usados anteriormente. Em verdade, seu trabalho tem usado matérias dos reinos mineral, vegetal e animal processadas, como o pó de mármore e as peças de borracha, feltro e couro, ou conformadas como artefatos — neste caso, varetas e bambolês de vidro, sacos de cânhamo, corda de sisal. A diferença agora é menos a variedade e mais a simultaneidade com que ela os experimenta e expõe. O que, significativamente, faz lembrar o início de sua trajetória.

A persistência também pode ser notada em um componente comum à escultura feita de corda e à gravura: o emaranhado, um símbolo da tensão entre o amorfo e o estruturado que tem perpassado sua poética. Nesse sentido, vale observar que recentemente ela começou a apresentar lado a lado suas experimentações nos domínios escultórico e gráfico — outro indício de experimentações concomitantes e interconectadas.

Novidade ainda é a cor, que, embora tenha precedentes em sua obra, aparece agora de modo inusitado. Mais do que a diversidade cromática nas peças e entre elas, importa que cada uma e a série se estruturem também a partir dos diálogos entre os tons próprios aos materiais.

Entretanto, o maior signo de mudança é a indeterminação morfológica das esculturas. Até aqui, algumas de suas peças podiam assumir configurações diferentes ao serem remontadas.

As obras desta série não estão definitivamente conformadas pela artista, podendo ser reestruturadas quase infinitamente de acordo com os elementos e as regras por ela estabelecidos.

Derivada de uma reflexão sobre seu fazer e de uma vontade de maior participação do outro, a indeterminação é enfrentada de modo lúdico. Como em outras de suas obras, ela parte de objetos do mundo: o bambolê e o jogo Pega Varetas, rememorando brincadeiras infantis. Vazios e buracos, permeabilidades e articulações também sugerem possibilidades de manipulação e rearranjo das peças. Memória e experiência que indicam obras em aberto, mas nem tanto.

As regras, assim como certas particularidades das peças, ao mesmo tempo viabilizam a ação e lhe impõem limites. O jogo é tenso, apesar da sedutora sensorialidade material, cromática e formal. Na passagem do mundo infantil ao da arte, os brinquedos se tornam objetos disfuncionais e um tanto perigosos. Delicados, quebráveis e possivelmente cortantes, bambolês e varetas instigam o corpo a corpo, mas oferecem resistência. Elementos pontiagudos, contorcidos, perfurados e tensionados, asperezas e lisuras, redução a pó — nesta série, não faltam signos que conjuguem beleza e crise, prazer e dor.

Mais do que a capacidade de, ao mesmo tempo, afirmar e renovar uma singularidade artística, o jogo de opostos, de permanências e alterações, é uma expressão de vitalidade. Não apenas as alusões corpóreas fazem pensar na dimensão humana e existencial dessa série. Afinal, joga quem vive. E a vida pode ser entendida como um jogo de continuidades e mudanças por estruturar.

One may also note the persistence of a component that is common to the rope sculpture as well as to the print: entanglement, symbol of a tension between amorphous and structural elements with which her poetics have become fraught. In this connection, it should be pointed out that recently she began to present her experiments in the sculptural and graphic domains side by side — another marker for concomitant and interconnected experimentation.

Still another novel feature here is color, which, though it has precedents in her work, appears now in unprecedented ways. More than a mere chromatic diversity in the pieces and among them, the key thing is that each one of them, as well as the series as a whole, also derives its structure from dialogues among the actual shades of the materials.

Nonetheless, the biggest sign of change is the morphological indeterminacy of the sculptures. Up to this point, some of her pieces could assume different configurations upon being reassembled. The works in this series are not definitively assembled by the artist, and are subject to almost infinite restructuring based on the elements and rules that she has established.

Deriving from a reflection on her creation and from an impulse towards greater participation by others, her work confronts indeterminacy in a playful manner. As in other works of hers, she uses mundane objects as points of departure: hula hoops and the game of Pick-up Sticks, reminiscent of childhood amusements. Voids and holes, zones of permeation and overlap also suggest possibilities for manipulation and the rearrangement of pieces. Memory and experience seem indicative of works still in progress, although not quite.

The rules, just like certain particularities of the pieces, render the action viable while at the same time imposing limits on it. Despite its material, chromatic and formal sensory enticements, the play is tense. In their passage from the world of childhood to that of art, the toys become dysfunctional objects, and even somewhat hazardous. Delicate, breakable and possibly cutting, hula hoops and sticks instigate body-to-body contact, even as they offer up resistance. Sharp elements, twisted, perforated, stretched tight, with abrasive and silky passages, reduction to dust — in this series, there is no shortage of signs conjuring beauty and crisis, pleasure and pain.

More than a capacity to affirm and at the same time renew an artistic singularity, the play of opposites, of things staying the same or undergoing alteration, is an expression of vitality. It is not only the bodily allusions that make us think of the human and existential dimension of this series. After all, those who play are alive. And life can be understood as a game of continuities and changes to be structured.


© Roberto Conduru
In: Frida Baranek, Game Change. São Paulo: Gabinete de Arte Raquel Arnaud, 2014. (exhibition folder)
Mudança de jogo com couro vermelho, 2014

Mudança de jogo com couro vermelho, 2014

Exhibition view, 2014 Gabinete de Arte Raquel Arnaud, São Paulo

Exhibition view, 2014 Gabinete de Arte Raquel Arnaud, São Paulo